De Cecília Prado

Meus pais me presentaram com 14 irmãos, sendo eu a sétima. E tenho a graça de ter oito irmãos religiosos: 4 sacerdotes, 2 religiosas e 2 seminaristas.

Há alguns anos, escrevia uma carta a estes meus irmãos religiosos agradecendo-os pela fidelidade e docilidade ao chamado à vocação religiosa. Senti-me no dever de os agradecer e de me comprometer a rezar pela perseverança e santidade deles, em tão sagrada missão.

Por que agradecer? Porque, é graças ao exercício do ministério sacerdotal que as famílias são fundadas na graça do matrimônio; que nossos filhos são batizados; que recebemos as comunhões e confissões – que aumentam e mantém a graça em nós, e quando chega a hora, também são eles (os sacerdotes) que nos preparam para partir à Pátria Celestial. Acaso não são nosso contato mais direto com Deus Pai? Seus gestos, suas palavras, suas ações, toda a vida, ardendo pela salvação das almas. Neles, não posso deixar de ver nossa união mais próxima e direta com Deus Pai. O que seria deste mundo sem estas mãos consagradas que nos trazem o Pão que alimenta nossas almas? Igualmente as religiosas…acaso elas não nos recordam o humilde, minucioso e silencioso trabalho de Maria para com seu Filho?

Então, como não pedir mais desses homens e mulheres que nos colocam em contato direto com Deus? Como mães de crianças pequenas, como não ir preparando nossos corações e os de nossos filhos para que, se algum dia forem chamados a esta sagrada vocação, possamos juntos, responder com a alegria e generosidade, como o “Fiat” de Maria?

As orações diárias que rezamos em família, são especialmente por eles, por sua fidelidade, santidade e perseverança. Porque, graças a essa entrega diária    em cada missão, a bandeira de Cristo ainda flameja em nossas Pátrias, apesar de tanto mal que nos rodeia. E, se eles mantêm erguida e flamejante a bandeira do exército Divino, então, mães e irmãs, pensemos em nós como um grande exército de almas.

Que nestes dias de contínuas orações por eles, nossas súplicas, orações e sacrifícios subam ao Céus como dardos inflamados, pedindo a Deus que aumente, proteja e sustente a vocação de seus fiéis servidores, sacerdotes e religiosas. Peçamos com insistência; que esses dardos em chamas façam que nossos religiosos se incendeiem, ardam e se consumam de amor no coração de Deus Pai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *